Li & Recomendo: Quase Mortos

Olá estimados leitores, como vão?
Espero que bem porque estou ótima [risos]!!! Então, nas ultimas semanas tenho me dedicado a uma atividade que gosto bastante: ler. Quem é que não gosta de ler alguma coisa de vez em quando, né?
Recentemente postei duas resenhas de livros (Elixir e A História) e continuo no pique da leitura, ainda mais porque no último ano não li o quanto gostaria por falta de tempo e também por questões monetárias, uma vez que as prioridades de gasto eram outras.
Enfim, para recuperar o tempo perdido estou lendo bastante, até o momento li 10 livros e pretendo ler ainda mais, e postando resenhas que, aliás, era algo que andava meio sumido por aqui, sem contar a recente parceria com a escritora Valéria Schmitt, que me deu um fôlego a mais para continuar lendo. 
Bom, para resumir  e ir direto ao ponto, a seguir a resenha de um livro que li e gostei bastante e por isso o estou recomendando aqui no blog. O bom é que este livro não é caro e pode ser encontrado em diversos sites. Agora, para fechar  mesmo o post de hoje, resenha de "Quase Mortos" de Rook Hasting. Espero que gostem!

Você pode não conseguir dormir direito após ler este livro

Histórias de terror, ainda mais sobre fantasmas, desde sempre fascinam as pessoas, não só pelos sustos involuntários que podem provocar, mas porque, geralmente, vem acompanhadas de mistérios que instigam a imaginação, isso quando esses mistérios são insolúveis e muito além da compreensão humana, que adora investigar tudo o que está oculto para a maioria das pessoas.
Assim, se você é do tipo que gosta de mistérios relacionados ao universo paranormal, certamente se sentirá curioso o suficiente para ler “Quase Mortos” (Rook Hasting, Pandorga, 2011, 238 páginas) que traz ao leitor a história de quatro jovens adolescentes bastante heterogêneos que se unem ao acaso para ajudar a também adolescente Emily Night a desvendar o enigma por trás do sumiço de sua mãe. Logo quando os quatro jovens (Jay, Hashim, Kelly e Bethan), cada um inicialmente com um interesse em particular, se juntam em prol da impopular Emily, o que se observa, na realidade, é que mesmo todos se detestando, há algo em comum que os liga irremediavelmente, ainda mais quando uma presença fantasmagórica coloca em xeque todas as convicções destes jovens.
A história contada por Rook Hasting em “Quase Mortos” vai evoluindo de modo natural e sem pressa, dando tempo para explicar as motivações de cada um dos quatro jovens que passam a ajudar Emily e, com isso, todo o mistério existente no início da trama vai se desenrolando. Entretanto, o que se destaca ainda mais no livro é o clima incômodo criado pela escritora para compor a narrativa uma vez que a própria ambientação da história, que se passa na estranha Woodsville, propicia uma leve tensão, afinal, a cidade está sempre imersa num clima sombrio, com um anoitecer mais cedo e sombras muito mais escuras e densas do que em qualquer outro lugar, dando aos moradores de Woodsville a nítida certeza da estranheza da cidade, muito embora nem todas admitam isso.
Pode ser que a história contada em “Quase Mortos” não se fixe na mente de quem lê-la, porém fará com que o mais corajoso dos leitores para e pense na possibilidade da viabilidade dos fatos narrados_ ainda que venha mesclar realidade e fantasia_, propiciando-lhe, em certa medida, uma noite de sono nem tão tranquila, o que certamente assegurará que o tempo empreendido na leitura foi proveitoso quando existe somente a pretensão de contar uma história de “terror” que realmente consiga provocar algum susto, ainda que passageiro para o alívio de muitos. Leitura recomendada!

Comentários

  1. Oie linda, tudo bem ?
    Passando para ver as novidades do seu blog e dizer que fiquei meia assim...interessada, mas com receio ao mesmo tempo, porque eu não gosto de livros de terror e se esse livro for assim eu toh completamente fora.
    Mas se for de mistérios...que envolve fantasmas e tudo mais, ai tudo bem...deve ser legal.
    Mas eu acho que não sou do tipo que gosta de ler coisas que dão medo. Até porque ando muito medrosa hahahaha

    Mas eu gostei do que vc escreveu no post
    Muito bacana saber o ponto de vista do leitor.

    Enfim...

    Olha linda, eu estou seguindo o seu blog, poderia me seguir e curtir minha fanpage? Porque n vi seu nome na lista. Enfim

    Se cuida e fica com Deus linda
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Passando aqui depois do seu comentário no Skoob.
    Interessante a ideia do livro, parece ser voltado pra jovens adultos, e eu leio bastante desse segmento. Inclusive entendo completamente quando você disse que diz que este não deve ser um livro que vá ficar na memória, a gente sempre encontra livros assim, eu mesmo li vários, mas sem os livros medianos, não teríamos as obras primas também.
    Gostei da resenha, abs!
    -Vinícius

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Vinícius, que bom que você entende meu ponto de vista.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Expressões idiomáticas ao pé da letra