Li & Recomendo: a Maldição do Lobisomem

Olá estimados leitores, como passaram a última semana? Bom, espero que na  mais perfeita paz. 
Então, espero que alguém tenha notado meu sumiço e esteja ansioso por mais um post porque o de hoje é bacana e vale a pena ser lido, afinal, mais uma vez, trago uma dica de livro que, creio, muitos gostarão, em especial os que gostam do gênero fantasia. 
Pois bem, o livro a ser indicado e que a resenha poderá ser lida a seguir faz parte de uma trilogia (13 to life) da escritora Shannon Delany que soube dosar muito bem o dramalhão que pode ser a vida de uma adolescente na descoberta do amor e no ajuste da própria vida  as tramas do destino. Ai, ai, enfim... espero que gostem da resenha. Beijocas e boa semana !

Bacana

Com o recente “boom” de livros voltados para o público adolescente, onde todos os anseios e medos comuns desta idade são retratados por vezes de modo melodramático, é muito comum encontrarmos histórias rasas onde a construção psicológica dos personagens deixa a desejar, isso quando as próprias histórias se mostram desinteressantes ou batidas ao extremo. Entretanto, em meio a esse crescente mar de histórias no mais estilo best-seller, em que nem sempre ter conteúdo é sinônimo de vendas, é possível encontrar um enredo ou outro onde, ao menos, o quesito “prender o leitor” é satisfatório mesmo quando o quesito “qualidade” não é preenchido em sua totalidade. Exemplo típico do citado anteriormente é a impressão que o leitor pode ter ao ler A Maldição do Lobisomem, uma história onde os dramas adolescentes se misturam a máfia russa, CIA e, claro, uma dose extra do sobrenatural através de um famoso personagem do imaginário coletivo: o Lobisomem.
A história em si é narrada em primeira pessoa_, talvez uma tentativa de inserir o jovem leitor na pele do personagem e fazê-lo, consequentemente, ler as infinitas sequências que os autores do gênero insistem em publicar quando, na realidade, um único volume seria suficiente para contar toda a trama_ e traz a jovem Jéssica, típica adolescente de 16 anos que perdeu a mãe num trágico acidente e que se vê totalmente envolvida por um misterioso garoto, Pietr Rosakova, recentemente introduzido em seu meio de convívio ao se mudar com a família para a pequena cidade em que ela mora com o pai e a irmã mais nova.
O que Jéssica não sabe é que tanto Pietr quanto os demais Rosakova são vítimas de um terrível destino imposto aos treze anos de idade quando seus relógios biológicos correm contra o tempo e não podem deter a transformação que encurtará suas vidas irremediavelmente. Assim, laços afetivos são criados de modo intenso e a chance de conhecer o amor em curto prazo se torna mais evidenciado com a proximidade desses dois jovens de mundos tão diferentes, mas com similaridades impressionantes.
Desse modo, a experiência de ler A Maldição do Lobisomem pode, em certa medida, ser agradável, não só pela fácil fluência da leitura, mas também pela linha tênue que aproxima ou separa os personagens, onde nem tudo é o que parece é quem é o amigo, em realidade, pode ser seu verdadeiro inimigo, sem contar as referências feitas a músicas, livros e ao modismo das histórias de vampiros. Vale a pena ler.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Dica de leitura