Li e Recomendo: O Perfume da Rosa

Olá estimados leitores, estou de volta e com mais uma resenha de livro de autora parceira aqui do blog. Refiro-me ao livro O Perfume da Rosa de Haydee Victorette. Enfim, gostei bastante do livro e agradeço mais uma vez a Victorette pelo maravilhoso presente. Que venham os próximos livros!



A nova Candace Camp

Ao contrário do que muitos possam imaginar romances históricos não são apenas uma mistura de história e ficção; são, antes de tudo, narrativas que chamam para si a responsabilidade de trazer ao leitor a sensação de estarem em épocas e locais distintos, além, é claro, de reconstruir ficticiamente os costumes e personagens históricos, tarefa esta que não é fácil ao levarmos em consideração o fato de que é bastante complicado escrever sobre uma época que, tecnicamente, não foi vivenciada.
Seguindo essa linha de romances históricos, muitos escritores vêm fazendo sucesso no meio literário ao levar ao público, cada vez mais ávido por novidades, histórias que tenham tramas bem amarradas e, ainda por cima, deixe no leitor um gostinho de quero mais.
Partindo do pressuposto mencionado anteriormente, eis que a literatura nacional conta com mais um reforço que veio para realçar essa linha dos romances históricos com uma obra que, por ser um livro de estreia, surpreende pela simplicidade de sua narrativa ao mesmo tempo em que propicia romance e mistério na dose certa. Desse modo, O Perfume da Rosa (Coleção Novos Talendos da Literatura Brasileira - Novo Século, 2011 - 246 páginas), de Haydee Victorette, narra à história das irmãs Elizabeth e Samantha Stanford, duas órfãos que ficam aos cuidados de uma duquesa aparentemente autoritária e de seu sobrinho, Arthur, um duque leviano que fica incumbido de apresentar a mais velha das irmãs Stanford, Elizabeth, a sociedade. Aparentemente a história seguiria em plena calmaria se assassinatos e um mistério não estivessem presentes em toda trama, o que por si só conduz o leitor a vontade de querer saber de que modo a trama terminará.
Dessa maneira, vale a pena ler O Perfume da Rosa e tirar as próprias conclusões, entretanto, cabe ressaltar que Victorette apresenta um estilo muito parecido com a de Candace Camp, escritora americana que escreveu, dentre tantas obras, a trilogia dos Aincourt, que obteve certa notoriedade em solo nacional ao ser publicada pela Harlequin Books. É claro que o fato dessa proximidade de estilos entre Victorette e Camp não compromete em nada a obra da escritora brasuca, pelo contrário, apenas a aproxima de um patamar elevado, colocando-a muito próxima ao rol dos grandes escritores e mostrando que literatura nacional pode ser, sim, literatura de qualidade, pois, infelizmente, há aqueles que insistem em acolher bem somente o que vem de fora não dando a atenção devida a autores promissores como Haydee Victorette. No mais, leitura recomendada.

Comentários

  1. Parece ser bem legal a estória.
    Fiquei interessado.
    Parabéns pela resenha!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Expressões idiomáticas ao pé da letra

Meta de leitura 2016

Night Huntress - informação sobre a série